RRF via Pix

Restituição do IRRF via Pix

Hoje em dia, ficou cada vez mais comum realizarmos pagamentos por Pix devido à sua praticidade. Mas você sabe como é feita a restituição do IRRF via Pix? Neste texto, vamos te explicar essa questão.

Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF)

O Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) pode ser objeto de restituição na Declaração de Ajuste Anual (DAA) para diversos tipos de contribuintes do imposto sobre a renda, sem distinção de nacionalidade, sexo, idade, estado civil ou profissão (Lei nº 5.172/66, artigo 165, inciso I c/c artigo 168).

O artigo 2º da Lei nº 7.713/88 prevê o pagamento do imposto de renda mensalmente, no momento em que recebemos os rendimentos (durante o ano-calendário). Por isso, pagamos o imposto, seja:

  1. Pela retenção na fonte (quando recebido de empresas); ou
  2. Pelo pagamento do Carnê-Leão (quando recebido de pessoas físicas ou de fontes situadas no exterior).

No ano seguinte ao recebimento dos rendimentos (exercício), realiza-se a declaração de ajuste do imposto de renda. Nessa declaração, informamos tudo o que recebemos e tudo o que foi pago (ou retido) de imposto no ano-calendário. O programa do imposto de renda faz os cálculos e verifica se:

  1. O imposto já pago foi exatamente o valor devido, gerando uma declaração sem saldo a pagar ou a receber;
  2. O imposto já pago foi menor que o devido, gerando declaração com imposto a pagar;
  3. O imposto já pago foi maior que o devido, gerando declaração com imposto a restituir.

Restituição do imposto de renda

A restituição do imposto de renda diz respeito à devolução da diferença do imposto pago a maior. Conforme a Lei nº 9.250/95, artigo 13, a diferença do imposto de renda a ser pago (reduzindo as deduções) em relação ao imposto pago ou retido na fonte é:

  1. Positiva quando o contribuinte tem saldo a pagar; ou
  2. Negativa quando tem saldo a ser restituído.

Em regra, o direito à restituição do IRRF ocorre quando o contribuinte teve mais imposto retido na fonte do que o devido em razão de seus rendimentos ou devido a retenções indevidas. Nesse caso, o valor excedente do imposto retido pode ser restituído ao contribuinte na DAA.

As deduções permitem que o saldo a ser pago seja menor que o imposto já retido. Com isso, o governo precisa devolver essa diferença, popularmente conhecida como restituição do imposto de renda.

Cabe ressaltar que o contribuinte deve verificar a sua situação específica e se o valor do IRRF é passível de restituição de acordo com a legislação vigente. Caso tenha dúvidas, é recomendável buscar a orientação de um profissional contábil ou tributário.

Resgate da restituição

O pagamento da restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) é efetuado pela Receita Federal do Brasil (RFB) exclusivamente mediante crédito em conta corrente bancária ou poupança de titularidade do beneficiário, informada na Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF), conforme descrito no artigo 154 da Instrução Normativa RFB nº 2.055/2021, admitidas as exceções nos casos de contribuinte falecido, menor de idade, incapaz ou com saída definitiva do país.

Pagamento da restituição via Pix

Desde 2022, o contribuinte também pode receber a restituição por Pix, desde que a chave seja o CPF do titular da declaração. Não é possível informar chave Pix diferente do CPF. Isso significa que e-mails, telefones ou chaves aleatórias não podem ser utilizadas para recebimento de restituição do imposto de renda.

Até então, não existia prioridade de restituição pela forma de crédito. Assim, o valor era creditado na mesma data independente da opção de recebimento: em conta corrente, pagamento, poupança ou Pix.

Se a chave Pix (CPF do titular da declaração) não estiver cadastrada (associada a uma conta válida), o valor não será creditado. Com isso, o contribuinte terá que reagendar o crédito da restituição com a Central de Atendimento do Banco do Brasil informando uma conta válida.

O contato com a Central de Atendimento do Banco do Brasil pode ser realizado através dos telefones:

  1. 4004-0001 para capitais; ou
  2. 0800-729-0001 para demais localidades.

Contudo, se a chave Pix aponta para uma conta que o contribuinte não utiliza mais, não é necessário retificar a declaração. Basta alterar a chave Pix para a conta nova.

Prioridade para declaração pré-preenchida e restituição via Pix

A novidade deste ano é que foi criado mais um grupo de prioridade. Ele é destinado ao contribuinte que utilizar a declaração pré-preenchida ou optar por receber a restituição via Pix (com o CPF como chave).

Dentro do mesmo grupo, o critério de desempate utilizado considera a data e a hora de entrega. Vale lembrar que as prioridades não são cumulativas. Assim, a declaração pré-preenchida e a opção por receber a restituição via Pix fazem a diferença apenas para os demais contribuintes não inseridos em nenhum dos grupos de prioridade legal.

Restituição para contribuintes desobrigados da entrega da declaração do IRPF

O contribuinte que, embora desobrigado da entrega da declaração, desejar obter a restituição do imposto sobre a renda retido na fonte no ano-calendário, relativo a rendimento sujeito ao ajuste anual, deverá pleitear a restituição mediante a entrega da DIRPF.

Saiba mais

A Econet também disponibiliza aos assinantes boletins informativos sobre este tema, bem como uma ampla equipe de consultores prontos para sanar suas dúvidas.

Ainda não é cliente Econet? Então, solicite já um teste grátis para conhecer nossas ferramentas e ter acesso a conteúdos indispensáveis de forma clara e objetiva. Assim, um de nossos representantes comerciais entrará em contato com você para lhe dar todo o suporte necessário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *